Blog

As 5 leis do ouro: o que fazer para ficar rico através delas? – O Homem Mais Rico da Babilônia

Você sabia que no livro “O Homem Mais Rico da Babilônia” existem 5 leis do ouro que se forem seguidas a risca podem fazer você ficar rico?

Como seria a sua vida se você entendesse os principais comportamentos que fazem alguém ficar rico?

Eu não sei o que você pensa sobre dinheiro, mas uma coisa é fato: todos nós queremos aproveitar as coisas boas que o dinheiro pode proporcionar.

Nesse sentido, o tema deste blog será sobre as 5 leis de ouro ensinadas no livro “O Homem Mais Rico da Babilônia” do George Clason.

No entanto, você deve estar pensando neste exato momento: “Nossa, mais um conteúdo sobre enriquecimento rápido na internet”.

E se este for o teu pensamento, não se preocupe porque no livro “O Homem Mais Rico da Babilônia” não existem fórmulas mirabolantes para ficar rico.

Muito pelo contrário, os ensinamentos que as 5 leis de ouro passam estão mais ligados a essência de uma boa administração do dinheiro do que uma fórmula mágica de enriquecimento.

Isso porque em primeiro lugar o intuito do George Clason neste livro é ensinar o básico das finanças pessoais para leigos.

Em segundo lugar, caso você tenha dúvidas ou objeções a este livro, converse com quem já o leu. É provável que você ouça mais elogios do que críticas ao livro.

Mas, introduções a parte vamos agora conhecer (ou relembrar, caso você já tenha lido a obra) as 5 leis de ouro para aplicá-las na prática.

O que são as 5 leis do ouro

Resumidamente as 5 leis de ouro em “O Homem Mais Rico da Babilônia” é um compilado de boas práticas em relação ao uso do dinheiro.

Nesse sentido, estas leis definem os 5 principais comportamentos e atitudes que alguém deve ter perante o dinheiro, caso queira enriquecer.

Logo, elas são uma espécie de guia para quem quer saber o que fazer para ficar rico, mas não sabe por onde começar.

Além de disso, elas são bem parecidas (algumas leis até iguais) com as 7 soluções para a falta de dinheiro ensinadas anteriormente no livro.

Entretanto, as 5 leis do ouro tem exemplos mais aprofundados sobre tópicos específicos em relação ao manuseio do dinheiro.

Por fim, vale lembrar também que todas elas são apresentadas através das experiências pessoais de Nomasir, filho de Arkad.

A razão pela qual elas te ajudam a ficar rico

Em “O Homem Mais Rico da Babilônia” fica muito claro a importância de obter conhecimento antes mesmo do dinheiro.

De acordo com o próprio George Clason nas palavras de Arkad, é até difícil mensurar em moedas de ouro o valor do conhecimento.

Nesse sentido, se você está na jornada do enriquecimento, o conhecimento será o seu aliado para chegar nos seus objetivos.

E é a partir dessa ideia que George Clason apresenta a ideia das 5 leis de ouro através da história de Nomasir, filho de Arkad.

Logo, se é do seu interesse conhecer ou relembrar as 5 leis que irão te pôr no caminho do enriquecimento, confira as 5 leis de ouro a seguir.

1º lei de ouro

1º lei das 5 leis de ouro l O Homem Mais Rico da Babilônia - George Clason
1º lei das 5 leis de ouro l O Homem Mais Rico da Babilônia – George Clason

A primeira lei das 5 leis do ouro diz que:

I. O ouro vem de bom grado e numa quantidade crescente para todo homem que separa não menos de um décimo de seus ganhos, a fim de criar um fundo para o seu futuro e o de sua própria família.

Nesse sentido, George Clason é direto em sua mensagem central: guarde 1/10 (10%) de tudo o que ganha.

Apesar de ser uma dica simples, ela tem uma importância fundamental na vida financeira de alguém.

Pense comigo: se as pessoas guardassem pelo menos 10% do que ganham, será que elas teriam os mesmos problemas financeiros que tem hoje?

Independente de quanto você ganha, se você não consegue guardar pelo menos 10% da sua renda, automaticamente o seu dinheiro está pagando todo mundo, menos você.

Dessa forma, você nunca vai prosperar financeiramente, pois você prefere pagar todo mundo, menos a si mesmo primeiro.

Atitudes que fazem você NÃO FICAR RICO

Primeiramente, se você alega por algum motivo que é impossível juntar 1/10 (10%) da sua renda, é provável que você esteja se sabotando financeiramente.

E o nome dessa autossabotagem tem nome: falta de controle de gasto.

Em “O Homem Mais Rico da Babilônia”, George Clason explica melhor sobre a falta de controle de gastos na segunda solução para a falta de dinheiro.

Por exemplo, digamos que você tenha assinado 5 serviços de streaming.

Por consequência eles te geram um gasto mensal recorrente para manter as assinaturas ativas.

Todavia, você não tem tempo para aproveitar se quer uma dessas assinaturas, e tão poucos as demais 4 que ainda tem assinado.

Desse modo, qual a lógica de manter tantos planos de assinatura que você se quer consegue consumir?

Visto que neste exemplo você não está utilizando os serviços que contratou, você está claramente dando dinheiro para outras pessoas sem benefício algum ao invés de pagar a si mesmo.

Logo, é o puro desejo de ter o plano assinado que te faz mantê-lo, e isso afeta diretamente o seu bolso.

Como resultado, você perde a chance de economizar e juntar este dinheiro para atingir um objetivo maior em sua vida.

Sob o mesmo ponto de vista essa lógica também serve para produtos.

Do que adianta comprar vários calçados de diferentes cores e modelos para no fim das contas não usar metade deles?

Você só tem dois pés para usá-los, portanto, não faz sentido algum comprar vários modelos que serão usados algumas poucas vezes para serem descartados ou esquecidos.

Como evitar gastos desnecessários?

Em suma, quando se trata de orçamento pessoal sempre pergunte-se:

  • Eu estou pagando a mim mesmo pelo menos 10% do que eu ganho?

Se a resposta for sim, maravilha! Você já está praticando a primeira lei de ouro.

Caso contrário, faça uma segunda pergunta logo em seguida:

  • Quais são os gastos que me impedem de pagar a mim mesmo primeiro?

Ao fazer a segunda pergunta, você automaticamente começará a refletir sobre quais gastos são necessários ou não de fato.

Por fim, caso você ainda tenha dificuldades para economizar 10% da renda, confira as 7 soluções para falta de dinheiro ensinadas no livro.

2º lei de ouro

2º lei das 5 leis de ouro l O Homem Mais Rico da Babilônia - George Clason
2º lei das 5 leis de ouro l O Homem Mais Rico da Babilônia – George Clason

A segunda lei das 5 leis do ouro diz que:

II. O ouro trabalha diligente e satisfatoriamente para o homem prudente que, possuindo-o, encontra para ele um emprego lucrativo, multiplicando-o como os flocos de algodão no campo.

Analogamente a descrição da lei, podemos dizer que a lição a ser tirada dela é para que não poupemos apenas por avareza, mas sim para multiplicar nosso dinheiro.

Nesse sentido, se estamos buscando maneiras para obter patrimônio e ficar rico, saber multiplicá-lo em um investimento é fundamental.

De acordo com o George Clason, sempre surgem oportunidades de empreendimentos lucrativos para o Homem que conserva dinheiro consigo.

E de fato está afirmação é verdadeira. Vamos usar um exemplo para ilustrar a aplicabilidade desta lei.

2º lei de ouro aplicada ao mercado imobiliário

A princípio, eu irei aproveitar o fato de que no livro o George Clason recomenda a compra da casa própria como um investimento para criar uma analogia baseada na aquisição de um imóvel.

Nesse sentido, digamos por exemplo que o mercado de imóveis está em um ciclo de baixa, e os preços estão lá embaixo.

Neste contexto, surge uma oferta irrecusável: um imóvel muito valorizado em seu respectivo bairro que agora está com o seu preço descontado.

Você sabe que ele voltará ao seu preço normal ou até mesmo valerá muito mais assim que esta crise no mercado imobiliário passar, logo é uma oportunidade única.

Nesse meio tempo, você percebe que por sorte e inteligência financeira você tem a exata quantia em dinheiro para comprar este imóvel.

Aliás, chance esta que só pode ser aproveitada por conta da sua poupança de 1/10 da sua renda feita durante anos para aproveitar alguma oportunidade no mercado de imóveis.

Nesse sentido, caso você venha a vender esta casa com lucro no futuro, você não acabou de multiplicar o seu dinheiro pelo simples fato de ter a oportunidade e o dinheiro na hora certa?

Em síntese, a segunda lei de ouro quer nos ensinar que as melhores oportunidades são aproveitadas apenas por quem tem dinheiro na hora certa para agarrar a chance.

A oportunidade de vender metais a Nínive

No exemplo do livro sobre aproveitar oportunidades, Nomasir (filho de Arkad) foi questionado por um chefe de escravos do porque dele não pôr as suas economias para gerar renda passiva para ele.

Nomasir foi o personagem que teve acesso as tabuinhas que continham as 5 leis de ouro, por consequência ele já praticava a 1º lei de ouro: economizar 1/10 de seus rendimentos.

Nesse sentido, o chefe dos escravos que também era seu amigo, além de elogia-lo sobre a sua poupança consistente também perguntou se ele tinha interesse em fazer parte de um investimento.

A princípio o investimento era no mercado de metais, sendo que a demanda vinha do rei que iria terminar de construir as muralhas que iriam proteger Nínive contra invasores.

Nesse sentido, a obra iria ser finalizada com a inserção de portões de bronze, cuja matéria-prima não tinha a oferta necessária para suprir a demanda do rei.

Como resultado, ao analisar o cenário Nomasir não pensou duas vezes e já investiu a sua parte neste crowdfunding.

Na história contada no livro, o empreendimento foi muito bem sucedido e trouxe retornos jamais esperados por Nomasir.

A importância do 1/10 na 2º lei de ouro

Pense sobre a seguinte questão: e se Nomasir não tivesse guardado 1/10 da sua renda seguindo a primeira lei de ouro, como seria o desfecho da história?

Provavelmente ele não iria conseguir fazer parte do crowdfunding que iria empreender vendendo metais a Nínive.

Por fim, faça uma autorreflexão: quantas oportunidade você não perdeu pelo simples fato de não ter dinheiro guardado?

Ou até mesmo ter tido o dinheiro guardado porque seguiu a 1º lei de ouro, mas não ter tido a coragem e o conhecimento necessário para investi-lo em algum empreendimento?

Deixe nos comentários deste post se você já perdeu uma oportunidade por não seguir a 1º e a 2º lei de ouro.

3º lei de ouro

3º lei das 5 leis de ouro l O Homem Mais Rico da Babilônia - George Clason
3º lei de ouro – O Homem Mais Rico da Babilônia por George Clason (DESLIZE PARA VER A PRÓXIMA IMAGEM)

A terceira lei das 5 leis do ouro diz que:

III. O ouro busca a proteção do proprietário cauteloso que o investe de acordo com os conselhos de homens mais experimentados em seu manuseio.

Em outras palavras, a lei diz que só é possível prosperar se você investe o seu patrimônio buscando segurança, e a sabedoria de pessoas experientes no manuseio do dinheiro.

Nesse sentido, a segurança não significa que você deva evitar de investir em ativos que possam oferecer riscos, mas para que você fique atento e não perca dinheiro a toa enquanto protege o seu patrimônio.

Logo, caso você ganhe muito dinheiro e consiga ficar rico, inevitavelmente o seu próximo desafio será proteger o seu patrimônio.

Os riscos de não aplicar a 3º lei de ouro

Só para ilustrar melhor o que esta lei quer dizer na prática, você sabia por exemplo que você está perdendo dinheiro aos poucos e não sabe disso no dia a dia?

Isso acontece principalmente se você deixa o seu dinheiro guardado na conta corrente do banco ou até mesmo embaixo da sua cama escondido.

E o motivo é simples: a inflação diminui aos poucos o seu poder de compra, e você nem percebe isso talvez.

Nesse sentido, a terceira lei de ouro se aplicada na prática, já previne que você perca o seu dinheiro para inflação, por exemplo.

E a razão por trás disso é porque se você entende e aplica a terceira lei, você já estará automaticamente buscando as melhores maneiras de proteger o seu capital contra a perda.

E não só buscará protegê-lo, como também irá aconselhar-se com especialistas que estão acostumados a proteger e multiplicar patrimônio.

4º lei de ouro

4º lei das 5 leis de ouro l O Homem Mais Rico da Babilônia - George Clason
4º lei de ouro – O Homem Mais Rico da Babilônia por George Clason (DESLIZE PARA VER A PRÓXIMA IMAGEM)

A quarta lei das 5 leis de ouro diz que:

O ouro foge do homem que o emprega em negócios ou propósitos com que não está familiarizado ou que não contam com a aprovação daqueles que sabem poupá-lo.

Nesse sentido, me responde esta pergunta: quantas pessoas você já não viu cair no risco da ruína e perder tudo porque ignorou totalmente a 4º lei de ouro?

Este tipo de erro é normalmente encontrado em pessoas que investem em pirâmides, pois elas acreditam religiosamente que aquele investimento pode enriquecê-las rapidamente.

Entretanto, elas mal entendem como aquele negócio vai de fato multiplicar o seu capital, apenas caem no conto de que vão enriquecer rápido investindo naquilo.

Por consequência, elas investem todo o seu dinheiro apenas naquele investimento, esperando retornos absurdos em seus investimentos.

E qual o resultado de negligenciar a 4º lei de ouro? Quando a pirâmide cai, todo o patrimônio dela cai junto com a pirâmide financeira.

E é aqui que o medo e o desespero dominam o indivíduo porque ele investiu em um negócio que não está familiarizado ou que tão pouco é aprovado por quem entende de investimentos.

As correlações entre não seguir a 4º lei de ouro e o risco da ruína

O risco da ruína não só acontece com pirâmides, como também pode acontecer com qualquer investimento que você não entenda e mesmo assim coloque 100% do seu patrimônio nele.

Aliás, esta é a definição do termo “risco da ruína”: quando você investe todo o seu patrimônio em um único ativo/empreendimento, cuja a chance de você perder tudo é alta por conta da falta de diversificação do capital.

Nesse sentido, a quarta lei do ouro recomenda que você invista em negócios que entende, ou que pelo menos sejam aprovados por quem entende de investimentos.

E não só siga estas duas dicas da quarta lei de ouro, como também busque aprender a diminuir o risco da ruína através da diversificação do investimento.

Afinal, buscar entender e estudar como funciona o risco da ruína e como evitá-lo faz parte do seu processo prático para seguir a 4º e a 5º lei de ouro.

Nesse sentido, é a partir deste momento que escutar os conselhos de homens experientes no manuseio do dinheiro faz com que você garanta a segurança do seu capital e não caia em golpes.

Por fim, vale lembrar que escutar o conselho das pessoas mais experientes também te ajuda a aprender a investir melhor o seu dinheiro.

Não reinvente a roda, suba nos ombros de gigantes

Reflita sobre a seguinte questão: se já existem pessoas experientes em fazer o dinheiro trabalhar para você, por que investir o seu dinheiro apenas guiando-se pelos próprios instintos e conhecimentos?

Hoje em dia não difícil encontrar pessoas de tirocínio no manuseio do dinheiro ensinando de graça a como acumular e investir o seu patrimônio no Youtube.

Logo, por que não começar a estudar e aconselhar-se com pessoas que realmente entendem sobre dinheiro e sabem o que fazer para ficar rico?

Uma frase atribuída a Isaac Newton resume bem o que eu quero passar para você:

“Se eu vi mais longe, foi por estar sobre ombros de gigantes.”

Isaac Newton

Nesse sentido, por que não buscar na própria internet alguns educadores financeiros que te ensinem a lidar melhor com o dinheiro?

Seja no próprio Google ou Youtube, existem muitos conteúdos sobre educação financeira para você começar hoje mesmo a lidar melhor com dinheiro.

Não só no Google e no Youtube como também nos livros sobre educação financeira.

Um exemplo de livro sobre educação financeira é o próprio “O Homem Mais Rico da Babilônia”.

Ele pode ser tranquilamente uma forma de você aprender a lidar melhor com o dinheiro.

Aliás, você já acompanha algum canal de educação financeira, site ou pessoa que te ensina a lidar melhor com próprio dinheiro?

Deixe nos comentários a sua referência no mundo das finanças para que as outras pessoas deste blog também conheçam esta(e) pessoa/canal de educação.

5º lei de ouro

5º lei das 5 leis de ouro l O Homem Mais Rico da Babilônia - George Clason
5º lei das 5 leis de ouro l O Homem Mais Rico da Babilônia – George Clason

A 5º lei de ouro diz que:

V. O ouro escapa ao homem que o força a ganhos impossíveis ou que dá ouvidos aos conselhos enganosos de trapaceiros e fraudadores ou que confia em sua própria inexperiência e desejos românticos na hora de investi-lo.

Em suma, a quinta e ultima lei de ouro basicamente está dizendo o que a terceira e a quarta lei já falaram: invista no que você entende e no que os homens experientes no manuseio do dinheiro aprovam.

Dessa maneira, a única diferença da 5º lei de ouro perante a 4º e a 3º lei de ouro está no fato de que o George Clason reforça a ideia de evitar cair em golpes por conta da inexperiência ou ganância com o dinheiro.

Dicas para pôr em prática a 5º lei de ouro

Sobretudo, se fosse para resumir em uma única frase a principal forma para pôr em prática a 5º lei de ouro, ela seria: siga todas as leis de ouro anteriores a quinta lei.

Em especial a quarta e a terceira lei de ouro, pois ambas complementam e dão a origem a quinta lei.

Isso porque como vimos anteriormente, a 3º lei de ouro fala sobre investir buscando a segurança do capital e a inteligência de homens experientes com o dinheiro.

Enquanto a 4º lei de ouro fala sobre os malefícios de investir o seu dinheiro sem entender do negócio ou/e sem a aprovação de quem entende de investimentos.

Logo, se você seguir a risca todas as leis de ouro, a 5º lei de ouro será alcançada como resultado das leis anteriores terem sido cumpridas.

Conclusão

Como você pôde ver, as 5 leis de ouro são o guia ideal para você saber o que fazer para ficar rico.

Apesar da sua simplicidade em essência, toda e qualquer pessoa que um dia enriqueceu seguiu estas leis de ouro.

Logo, cabe a você entender ou até mesmo decorá-las para aplicá-las na prática e mudar de vez a sua situação financeira.

Por fim, lembre-se que a mensagem principal do livro não só fala sobre dinheiro e ficar rico, como também fala para você sair da sua zona de conforto e buscar conhecimento.

Nesse sentido, caso você queira continuar obtendo mais aprendizados do livro, aqui na Ourbooks temos não só a resenha do livro como também mais conteúdos sobre os ensinamentos do livro.

Confira mais posts sobre “O Homem Mais Rico da Babilônia” através dos links abaixo.

Referências

Referência

Bloxs. Crowdfunding: saiba tudo sobre essa forma inovadora de investir. 07 de fevereiro de 2022. Disponível em: https://conteudos.bloxs.com.br/crowdfunding-saiba-tudo-sobre-essa-forma-inovadora-de-investir Acesso em: 07/03/2022

CLASON, George S. O Homem Mais Rico da Babilônia. 18. ed. [S. l.]: Ediouro, 2005. 121 p. ISBN 9788500003042.

JEHNIFFER, Jaíne. Diversificação de investimentos – Quantas ações ter em carteira? Investidor Sardinha, 30 de setembro de 2020. Disponível em: https://investidorsardinha.r7.com/aprender/diversificacao-de-investimentos/#google_vignette Acesso em: 07/03/2022

Nubank. O que é inflação e como ela afeta sua vida. 09 de fevereiro de 2022. Disponível em: https://blog.nubank.com.br/o-que-e-inflacao/ Acesso em: 07/03/2022

0 0 votos
Avalie o artigo
Ver mais

Carlos Gomes

Estou terminando meu bacharel em administração, sou especialista em investimentos (CPA-20, Anbima) e além de tudo um leitor de livros polímata.
Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
OurZ logo sem fundo SVG

Quer ser mais inteligente que a média?

Inscreva-se para receber conteúdos sobre autodesenvolvimento, livros técnicos e muito mais no seu email e Telegram!
OurZ logo sem fundo SVG

Quer ser mais inteligente que a média?

Inscreva-se para receber conteúdos sobre autodesenvolvimento, livros técnicos e muito mais no seu email e Telegram!