Resenhas

Resenha: Os Segredos da Mente Milionária – T. Harv Eker

Se você ainda não é rico e não faz a mínima ideia de como enriquecer, “Os Segredos da Mente Milionária” é o livro que você precisa ler.

Escrito pelo T. Harv Eker, esta obra é para você que:

Vale a Pena Ler Os Segredos da Mente Milionária?

E não se preocupe, este livro é feito para pessoas iniciantes que querem enriquecer e não tem qualquer conhecimento prévio sobre finanças.

Quer finalmente entender o porquê você não é rico e resolver este problema ainda hoje?

Então fique com a gente até o final do artigo para aprender algumas lições valiosas do livro.

Você também vai decidir se vale a pena ou não ler “Os Segredos da Mente Milionária” do T. Harv Eker na íntegra através desta resenha.

Qual o tema central do “Os Segredos da Mente Milionária”

O livro fala basicamente sobre como os pensamentos de um indivíduo podem justificar a situação financeira atual dele.

Nesse sentido, T. Harv Eker dedica-se durante o livro todo a falar sobre mentalidades, pensamentos e reflexões acerca do dinheiro.

Em outras palavras, T. Harv Eker em “Os Segredos da Mente Milionária” transformou o tema “dinheiro” em um assunto filosófico.

A todo tempo ele faz comparações entre os pensamentos de pessoas ricas, e pessoas pobres (financeiramente falando).

Dessa forma, é a partir deste contraste que ele faz reflexões sobre o porquê destes dois tipos de pessoas terem resultados financeiros diferentes uma da outra.

Por fim, ele compila todas as ideias em 17 arquivos de riqueza que resumem os principais pensamentos que você deve cultivar para enriquecer, em detrimentos daqueles que você deve excluir da sua vida porque te empobrecem financeiramente.

Por que ler “Os Segredos da Mente Milionária”

O principal problema que as pessoas pobres ou da classe média tem que as impedem de ficarem ricas é a sua própria mente.

Apesar de que ficar rico depende da sorte, do ambiente e diversos outros fatores que fogem do controle das pessoas, nem tudo se resume a este fatores.

Existe um grande número de pessoas que tem todas as condições possíveis para enriquecer, o problema está apenas na forma como ela vê a vida, e principalmente as suas finanças.

Não tem como você fazer uma autoanálise imparcial sobre si mesmo em relação a dinheiro, caso você tenha filosofias, ideias e reflexões erradas sobre dinheiro.

Como resultado, tudo o que respondermos a nós mesmos sobre dinheiro tende a ter um viés de confirmação que vai nos manter na pobreza.

Dessa forma, “Os Segredos da Mente Milionária” é o livro perfeito que vai te tirar dessa bolha de pensamentos errados que te mantém pobre.

Se não ficou claro, vale a pena ressaltar: se você tem pensamentos errados sobre a filosofia do dinheiro, VOCÊ NÃO VAI FICAR RICO.

Você quer saber se você tem esses pensamentos errados sobre o dinheiro e mudar a sua realidade financeira ainda hoje?

A seguir, você irá conhecer mais sobre o livro em si, o que ele fala, e principalmente algumas lições para que você possa ainda hoje mudar a sua percepção sobre o dinheiro e decidir se vai ler o livro na íntegra.

Capítulos de “Os Segredos da Mente Milionária”

11 lições do livro “Os Segredos da Mente Milionária”

A menos que você esteja aqui nesta resenha por outro motivo, chances são de que você chegou até aqui porque quer de fato ser rico.

E não só quer ser rico, como está disposto a conhecer o melhor e mais rápido caminho para conseguir fazer parte do clube dos milionários (ou quem sabe, o clube dos bilionários).

Aqui vão 11 lições do livro “Os Segredos da Mente Milionária” para você aplicar ainda hoje.

1) Cuidado com os seus pensamentos sobre dinheiro

O autor defende que tudo o que acontece na nossa vida vem de “quatro mundos distintos”, sendo eles:

Os 4 Mundos Distintos que influenciam diretamente na vida de uma pessoa T. Harv Eker

Sendo que o último, o Mundo Físico, é uma impressão dos outros 3. Não se preocupe, o autor tem uma explicação bem racional para esse tópico.

Em resumo, se você acredita que pessoas ricas são ruins, gananciosas, cuja existência delas piora o mundo, é praticamente impossível você se tornar uma delas.

Isso acontece porque ao ter este pensamento, você verá como algo ruim ser rico e acumular patrimônio.

Ou seja, o pensamento dela desencadeia reações emocionais negativas que só serão aliviadas ao não se tornar aquilo que ela mais odeia: uma pessoa rica.

Como resultado, a pessoa que vê os ricos dessa forma tenderá a fazer sempre o contrário deles.

Por exemplo, se os ricos costumam pegar uma parte do seu dinheiro e investem para ter uma renda passiva que cubra o seu custo de vida, os pobres vão pegar todo o seu dinheiro e gastá-lo com coisas fúteis.

Se os ricos assumem a responsabilidade de ficarem ricos, e entendem que a culpa deles não terem o dinheiro que almejam é única e exclusivamente culpa deles, os pobres vão culpar a todos pelo seu fracasso financeiro, menos eles mesmos.

Portanto, o autor explica que o seu patrimônio está totalmente atrelado aos “fatores invisíveis no mundo real”, ou seja, os seus pensamentos sobre o dinheiro e as pessoas ricas.

O que você pensa ao ver uma pessoa rica? Quando te aconselham a investir o seu dinheiro, o que você responde na hora? Por que você acredita não ser rico?

Compare as suas respostas com o pensamento de quem já é rico, e você saberá muito sobre a sua situação financeira atual.

2) Identifique as influências negativas que você teve sobre dinheiro

Após entendermos a importância dos pensamentos e ideias sobre dinheiro na nossa vida, temos que identificar e analisar a origem dos nossos próprios pensamentos sobre o tema.

Existem 3 grandes fontes de influência que podem ter moldado de forma positiva ou negativa a nossa visão sobre dinheiro. São elas:

  • Programação verbal
  • Exemplos
  • Episódios específicos

A maioria dessas influências vêm da infância, enquanto que algumas vem de acontecimentos já na vida adulta.

Na prática, isso significa que quando você era criança, a maneira como seus pais explicavam ou lidavam com dinheiro pode determinar o jeito que você lida com as finanças hoje.

E para descobrir isso, basta você olhar para eles hoje e ver se você tem as mesmas atitudes ou resultados que eles têm.

Não só isso, como você também pode revisar nas suas memórias o que eles falavam sobre dinheiro para você.

Por vezes, nossos pais sem más intenções alimentaram ideias de que é necessário poupar para dias ruins, ou que dinheiro uma hora acaba.

Como resultado, todas essas ideias podem moldar hábitos e atitudes negativas frente ao dinheiro.

Por exemplo: se você tem uma programação mental que diz que você deve poupar dinheiro na expectativa de vir dias ruins, eles de fato virão.

Isso porque ao invés de poupar para aumentar o seu patrimônio, a pessoa irá focar apenas em poupar dinheiro para um dia ter que lidar com uma crise.

Dificilmente quem tem este pensamento sobre poupança irá estudar e tomar decisões que vão aumentar seu patrimônio, pois o foco principal dela será apenas lidar com crises.

Analise as atitudes dos seus pais com o dinheiro, ou a sua vida como um todo.

Veja como estes pensamentos podem estar afetando a sua vida e troque-os por pensamentos positivos que te ajudam na construção de riqueza.

3) A vitimização te fará pobre para sempre

A sua situação financeira atual sempre será culpa sua, e o único responsável por mudá-la também é você.

De acordo com o T. Harv Eker, existem 3 características que toda pessoa que se acha vítima tem em comum, são elas:

3 características de uma pessoa vitimista segundo T. Harv Eker

Se você tem essas características, e quer ficar rico, exclua elas de sua vida agora mesmo.

O motivo é simples: não existem vítimas verdadeiramente ricas.

Quem passa a maior parte do tempo reclamando que não é rico por culpa da economia, bolsa de valores, por causa do patrão, família ou esposa dificilmente ficará rico.

O foco dessa pessoa está em reclamar dos seus problemas, e não dar uma solução a eles.

Uma pessoa de mentalidade rica, por exemplo, ao ver que está perdendo dinheiro na bolsa de valores, vai entender que ela tem que estudar mais para acertar no próximo investimento.

Ela também perceberá que a família de fato depende dela financeiramente, usando isso como combustível para ficar cada vez mais rica.

Por outro lado, a pessoa que tem o hábito da vitimização, neste mesmo exemplo, provavelmente iria reclamar que a bolsa de valores é cassino e que a sua família é um estorvo financeiro para ela.

Portanto, é impossível uma pessoa com uma mentalidade de vitimização (pobre) dar soluções inteligentes para resolver os seus próprios problemas, incluindo os financeiros.

Enquanto que uma pessoa rica, por ser voltada a uma mentalidade em que ela é a responsável pela própria vida, sempre buscará soluções para os seus problemas financeiros.

E não só soluções para problemas financeiros, como também soluções para problemas da vida como um todo.

4) Pessoas de mentalidade pobre não querem ser ricas

Pode parecer contraditório, mas é verdade: pessoas de mentalidade pobre não querem ser ricas.

Isso acontece porque elas têm arquivos de riqueza que as convencem de que se tornar rico é um problema a ser evitado.

Muitos desses arquivos vem porque elas acreditam, mesmo sendo puramente subjetivo ou ilógico, em consequências negativas em serem ricas.

Por exemplo, veja se alguma dessas ideias vem a sua cabeça em relação a ficar rico:

  • “Nunca vou saber se as pessoas gostam de mim por mim mesmo ou pelo meu dinheiro.”
  • “Vou cair na faixa mais alta do imposto de renda e ter que dar metade do meu dinheiro ao governo.”
  • “Dá muito trabalho.”
  • “O esforço pode acabar com a minha saúde.”
  • “Todo mundo vai me pedir uma ajudinha.”
  • “Eu poderia ser roubado.”
  • “Os meus filhos poderiam ser sequestrados.”

Mesmo que elas pensem nas coisas boas que o dinheiro pode trazer, as coisas ruins vêm à mente logo em seguida.

Dessa forma, o T. Harv Eker explica que quem tem esses pensamentos não se compromete 100% em sair da pobreza para a riqueza.

Portanto, se você tem algum pensamento contraditório em relação a dinheiro, você deve excluí-lo da sua vida.

Quanto mais pensamentos contraditórios você tiver, menos comprometido em ficar rico você será.

É impossível alguém dedicar a vida em ficar rico, enquanto tem medo do seu filho ser sequestrado a todo momento.

5) Ganhe experiência trabalhando para os outros antes de empreender

Diferente de muitos gurus e coachs que mandam você largar o emprego para empreender, T. Harv Eker vai na contramão dessa tendência.

O autor entende que antes de se aventurar no mundo do empreendedorismo, é fundamental que você trabalhe para alguém antes.

Isso porque os ricos tomam riscos calculados, incluindo na hora de empreender. Enquanto que as pessoas de mentalidade pobre deixam o medo dominá-las.

Dessa forma, a lição é que você deve trabalhar e obter cargos que te deem experiência útil para a sua futura empresa.

No livro, ele cita o seu próprio exemplo pessoal para explicar essa lição.

T. Harv Eker queria abrir um negócio no ramo de doces, mas não entendia nada sobre o mercado.

Como resultado, ele decidiu entrar em uma empresa do ramo trabalhando como um funcionário comum.

O seu objetivo era simples: obter o máximo de experiência possível para poder abrir o seu próprio negócio no ramo de doces.

No livro, ele explica que após entender sobre o mercado em que iria atuar, ele acabou decidindo não abrir mais o empreendimento.

E a lição que ele pontua é que graças a essa experiência, ele pode evitar de abrir um negócio que iria odiar trabalhar, podendo até mesmo quebrar a empresa.

Uma outra observação sobre essa dica é que o T. Harv Eker encoraja que você escolha cargos que te remunerem não só em dinheiro, mas principalmente em conhecimento.

Isso porque trabalhar para outra pessoa visando diminuir os seus riscos ao empreender vem através do conhecimento adquirido, e não da remuneração.

Portanto, evite trabalhar apenas para ganhar dinheiro, foque também em aprender sobre a profissão e o mercado.

6) Odiar vendas e autopromoção é o caminho certo para a pobreza

Essa lição do livro “Os Segredos da Mente Milionária” do T. Harv Eker não tem mistério: é impossível ficar rico sem vender algo ou você mesmo para os outros.

Neste momento você também pode falar “Ah, mas eu sou CLT, trabalho registrado para uma empresa e meu cargo não é de vendas, não preciso me preocupar com vendas e autopromoção”.

E de fato, você pode estar certo. Só tem um problema em relação a isso: se o colega que trabalha contigo se vender melhor e provar que é mais habilidoso que você na empresa, ele vai se dar bem e você não.

Você gostaria de ver aquele novato que acabou de chegar na empresa ganhando mais e tendo cargos mais importantes que o seu? Se a resposta for não, se preocupe com vendas e autopromoção agora mesmo.

Os ricos são os melhores quando se trata de autopromoção e vendas, enquanto que os de mentalidade pobre veem vendas como algo ruim.

Há dois motivos para uma pessoa ver vendas com maus olhos:

  1. Ter tido uma experiência ruim com algum vendedor no passado
  2. Já tentou vender algo para alguém que não estava interessado no seu produto

No primeiro caso, o problema é em relação a uma experiência específica ruim.

Enquanto que no segundo, é uma projeção do próprio medo de fracassar e ser rejeitado.

Seja lá qual for o seu motivo, exclua essa repulsa de vendas da sua vida. Não tem como ficar rico e trazer receita constante para a sua vida evitando vendas e autopromoção.

Por fim, saiba que a tendência de quem sabe se autopromover é também ser líder de outras pessoas.

E todo líder sabe vender ideias, produtos e a si mesmo para outras pessoas. Dessa forma, é fato dizer que líderes ganham mais dinheiro que seguidores.

7) Enriqueça para ajudar o máximo de pessoas possível

Por incrível que pareça, T. Harv Eker diz que há muitas pessoas que não ficam ricas porque não aceitam receber dinheiro.

Estas pessoas acreditam em 3 ideias que as mantém na pobreza, sendo elas:

  • Não serem merecedoras de receber pelo valor que agregam ao mundo
  • Devem doar ao invés de receber
  • Acreditam que o dinheiro vai torná-las pessoas ruins

Porém, nenhuma dessas ideias faz sentido lógico. E não há como ter lógica, pois como diz o próprio T. Harv Eker (2006, p.49), em relação a mentalidade financeira:

“Nada tem significado, exceto aquele que nós mesmos atribuímos às coisas”

T. Harv Eker – (Eker, 2006, p.49)

Portanto, independente do que você entenda por dinheiro, provavelmente é um significado que você atribuiu a ele, e não uma verdade absoluta.

E mesmo não sendo uma verdade absoluta, ela pode estar te convencendo a continuar na pobreza.

Dessa forma, o autor recomenda que você troque essas 3 ideias que te mantém pobreza por 3 ideias que podem fazer você enriquecer, sendo elas:

  • Acreditar que merece receber grandes quantias de dinheiro por ajudar outras pessoas
  • Focar em receber para poder doar mais
  • Entender que o dinheiro potencializará ainda mais a sua bondade

Por fim, uma outra reflexão que o autor faz para reforçar este ponto é que você só vai poder ajudar mais pessoas se ficar mais rico.

Com dinheiro você resolve inúmeros problemas e ajuda muitas pessoas, enquanto que não ter dinheiro te deixa na posição de ser ajudado apenas.

É seu dever, portanto, acumular o máximo de dinheiro possível para ajudar aqueles que não tiveram a sorte e a inteligência para acumulá-lo também.

8) Evite profissões que te remunerem por horas trabalhadas

Você nunca deve estabelecer um teto para seus rendimentos, caso queira ficar rico um dia.

Dessa forma, você deve evitar trabalhos que te remunerem pelas suas horas trabalhadas.

O problema de receber por horas trabalhadas tem relação com o limite de horas que você tem no dia para trabalhar.

Suas horas disponíveis para trabalhar tem um limite, sendo assim, a sua remuneração também fica limitada.

Ao invés de buscar por trabalhos que te paguem um salário estável todo mês, prefira trabalhos que te paguem por resultados.

De acordo com o T. Harv Eker, os ricos são remunerados pelos resultados que produzem, se não totalmente, em parte.

Isso significa que os ricos costumam tirar o lucro do seu próprio negócio, ganham por comissão ou percentual de vendas na empresa em que trabalham, ou até mesmo preferem obter as ações das empresas em que trabalham do que ter altos salários.

Perceba que esta forma de remuneração não está limitada às horas trabalhadas de uma pessoa, portanto, não há um teto de rendimentos para quem é remunerado por resultados.

Entretanto, vale ressaltar que ser remunerado por resultados não é algo seguro. Você corre o risco de não ter uma renda estável.

Ainda sim, o retorno que você pode obter é proporcional ao risco tomado.

Logo, se você quiser ser rico, é fundamental tomar riscos para ser remunerado pelos resultados que você produz do que por horas trabalhadas.

O custo de buscar a segurança tem um preço altíssimo, que é não ficar rico e atingir a prosperidade.

9) Ganhar dinheiro não é um jogo de soma zero

Um arquivo de riqueza extremamente prejudicial para o enriquecimento de qualquer um é acreditar que o dinheiro no mundo é limitado.

Essa ideia além de ser uma falácia econômica, também pode desenvolver uma mentalidade pobre.

A economia não é um jogo de soma zero, cada vez mais e mais pessoas enriquecem sem atrapalhar ninguém.

Muito pelo contrário, a maioria enriquece resolvendo problemas do mundo, enquanto são muito bem remuneradas por isso.

Essa mentalidade torna qualquer pessoa pobre, pois a maneira como ela vê o mundo terá sempre um viés negativo.

Em outras palavras, ao invés de admirar uma pessoa que enriqueceu por X, Y ou Z, ela vai ficar extremamente irritada com aqueles que enriqueceram.

Na cabeça do indivíduo de mentalidade pobre, tal pessoa enriqueceu porque explorou alguém, e isso também é uma falácia econômica.

A exploração no trabalho não existe, pois tanto o trabalhador quanto o patrão dependem um do outro para trabalhar e ganhar dinheiro.

Portanto, T. Harv Eker dedica um capítulo inteiro para te convencer a trocar essa mentalidade escassa para uma mentalidade de abundância.

Sem isso, o indivíduo acabará pensando e buscando apenas escassez e oportunidades ruins quando se trata de dinheiro.

Lembre-se: ninguém faz algo que seja ruim para si mesmo, logo, ao ver o dinheiro como algo ruim, dificilmente você vai querer obtê-lo para si.

10) Foque em ter patrimônio líquido ao invés de uma renda mensal

Pode parecer estranho essa ideia, mas focar em ter patrimônio é melhor do que focar em ter uma renda mensal.

T. Harv Eker fala que as pessoas costumam focar em ganhos mensais, e não no patrimônio líquido.

Isso é um erro que induz as pessoas para a pobreza, de acordo com o autor.

Pois, o patrimônio líquido é um indicador de riqueza mais preciso, uma vez que ele pode ser convertido em dinheiro.

Para T. Harv Eker existem 4 fatores determinantes do patrimônio líquido, sendo eles:

  • Rendimentos
  • Poupança
  • Investimento
  • Simplificação

O rendimento é um fator determinante porque é através dele que você vai poder bancar o seu custo de vida, e consequentemente, atingir a liberdade financeira.

A princípio existem dois tipos de rendimento:

  • Rendimento ativo
  • Rendimento passivo

Preferencialmente você deve buscar o segundo, pois os rendimentos passivos significam que você vai ganhar dinheiro sem precisar trabalhar, usando o seu patrimônio para isso.

Enquanto o rendimento ativo é todo dinheiro oriundo do trabalho ativo, ou seja, você trabalha para no fim do mês ganhar um salário.

Já a poupança tem papel determinante no seu patrimônio líquido, pois, se você ganha muito dinheiro, mas não conserva ele para si, é impossível fazer fortuna.

Investimentos, por sua vez, tem papel importante porque é através deles que você vai aumentar o seu patrimônio.

E não só aumentar, como você também pode investir o seu patrimônio em investimentos que te gerem rendimentos passivos que paguem o seu custo de vida.

Por fim, mas não menos importante, a simplificação é planejar um estilo de vida que seja sustentável.

Não adianta você planejar viver de renda passiva, sendo que seu custo de vida é alto.

Quanto mais simples for o seu estilo de vida, menor o patrimônio e o tempo necessário para atingir a liberdade financeira.

11) Reserve 10% do seu dinheiro para gastá-lo à toa

Sim, você não entendeu errado. T. Harv Eker recomenda que você separe 10% de tudo o que você ganha para gastar à toa naquilo que você quiser.

De acordo com o autor, a importância de reservar estes 10% está na necessidade de atingir o equilíbrio financeiro.

Em outras palavras, o intuito da conta diversão (nome que o autor dá para os 10% do orçamento voltado a torrá-lo), é satisfazer os seus desejos consumistas intrínsecos.

Assim como é preciso economizar, investir e comprar coisas necessárias, também é preciso alimentar o lado do ser humano que deseja ser consumista.

É aqui que entra a importância dos 10%, pois, ao planejar uma quantia fixa cujo intuito é unicamente gastá-la, uma pessoa dificilmente irá se descontrolar financeiramente.

Haverá um orçamento só para realizar esse desejo de gastar à toa, o que fará a pessoa atingir o equilíbrio financeiro sem muito esforço psicológico.

Além de permitir que ela se motive ainda mais a obter mais e mais riqueza pessoal.

Isso porque quanto mais dinheiro ela ganhar, mais dinheiro terá nos 10% para gastar com coisas que lhe dão prazer.

Como resultado, ela irá motivar o seu comportamento de querer receber mais e mais dinheiro para si, ao invés de ir contra a busca pelo enriquecimento.

Conclusão

O livro “Os Segredos da Mente Milionária” é perfeito para aqueles iniciantes no mundo das finanças.

Não é preciso ter conhecimentos prévios para que você possa entender o livro, e principalmente, as suas lições.

A obra é totalmente voltada para aqueles que entenderam que ser pobre não é mais uma opção.

Dessa forma, através das suas crenças sobre dinheiro, o leitor pode ter a sua vida mudada para sempre.

Mesmo que você seja totalmente quebrado financeiramente, o conteúdo do livro é feito para você.

A leitura também não é densa, portanto, você conseguirá terminar o livro em um tempo razoável.

Além de aprender muito com as experiências financeiras dos alunos, conhecidos, e até mesmo do próprio do T. Harv sobre dinheiro.

Não perca tempo, compre e leia o livro ainda hoje para ter uma vida financeira melhor.

Referências

Referências

OTTONI, F. Quer viver de renda? Saiba como fazer os juros trabalharem por você. Inteligência Financeira, 03 de junho de 2023. Disponível em: https://inteligenciafinanceira.com.br/aprenda/investir/vivendo-de-renda-investimentos/. Acesso em: 24 jul. 2023.

EKER, T. Harv. Os segredos da mente milionária: Aprenda a enriquecer mudando seus conceitos sobre o dinheiro e adotando os hábitos das pessoas bem-sucedidas. Tradução: Pedro Jorgensen Junior. 1. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2006. 176 p. ISBN 978-85-7542-576-3.

RALLO, J. R. Por que a economia não é um jogo de soma zero. Mises Brasil, 28 de abril de 2021. Disponível em: https://mises.org.br/article/1751/por-que-a-economia-nao-e-um-jogo-de-soma-zero. Acesso em: 24 jul. 2023.

SAMMEROFF, A. A “exploração dos trabalhadores” é um mito – e é fácil de entender por quê. Mises Brasil, 30 de julho de 2021. Disponível em: https://mises.org.br/article/3129/a-exploracao-dos-trabalhadores-e-um-mito–e-e-facil-de-entender-por-que. Acesso em: 24 jul. 2023.

0 0 votos
Avalie o artigo
Ver mais

Carlos Gomes

Estou terminando meu bacharel em administração, sou especialista em investimentos (CPA-20, Anbima) e além de tudo um leitor de livros polímata.
Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Feedbacks embutidos
Ver todos os comentários

Artigos relacionados

Back to top button
OurZ logo sem fundo SVG

Quer ser mais inteligente que a média?

Inscreva-se para receber conteúdos sobre autodesenvolvimento, livros técnicos e muito mais no seu email e Telegram!
OurZ logo sem fundo SVG

Quer ser mais inteligente que a média?

Inscreva-se para receber conteúdos sobre autodesenvolvimento, livros técnicos e muito mais no seu email e Telegram!